quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Pedacinho do Brasil.


PASTEL

Ontem a tarde, meu marido e eu fomos passear um pouco com minha cunhada Andréia, e resolvemos fazer um lanche no meio do caminho.
E minha cunhada nos levou a um lugar que vende algumas gostosuras brasileiras: Pastel Brasil.
Minha cunhada e eu comemos um delicioso de frango e catupiry, meu marido pediu frango com queijo. 
Nos sentimos um pouco no Brasil, porque escolhemos o recheio, e ela fritou o pastel na hora.
Saimos de lá super satisfeitos, com o pastel quentinho, um guaraná antártica, e de sobremesa, umas cocadinhas e doce de leite.
O mais legal de tudo, foi que ela, além dos pastéis, ainda fritou os recortes da massa, sabem aquelas sobrinhas de massa...então, ela fritou e serviu junto com os pastéis. 
Lembrei de quando ajudava minha mãe a fazer pastel e até mesmo o pão, e ela sempre fritava as sobras da massa pra gente comer no café da tarde.

Bom, conversas a parte...vocês conhecem a origem do pastel?
Eu sempre acreditei que fosse super brasileira, mas na realidade, é uma adaptação do "rolinho primavera" chinês.
Alguns dizem que foi do “Gyosa” japonês, outros que o pastel teve sua receita copiada pelos jesuítas quando estes foram à China e passaram a usar ovo ao invés de arroz e o rechearam com amêndoas. 
Sua popularidade veio com a Segunda Guerra Mundial quando os japoneses, para evitar a discriminação, começaram a vender pastel para serem confundidos com chineses. Com a adaptação dos ingredientes do “rolinho primavera”, surgiu o que hoje conhecemos como pastel. 
Então, Viva o Rolinho Primavera que virou Pastel!!!!!

Em dezembro, quando meus pais estavam em Toledo - PR minha cidade natal, eles foram na casa da minha tia Tere, e se acabaram de tanto comer pastel (que eles mesmo fizeram), delicia, né!
Então, eu pedi a receita para minha mãe, e agora vou compartilhar aqui com vocês.

Pastel:
1 kg de farinha de trigo
1 colher (chá) de sal
2 colheres de óleo bem quente
1 colher de cachaça 
1 colher de vinagre branco
Água morna até dar o ponto para cilindrar (aproximadamente 3/4 de xícara)

*Essas são as medidas originais, que minha tia e minha mãe usaram. Vocês podem aumentar a quantidade dos ingredientes, sempre dobrando as quantidades da receita original.


Bom, primeiro, colocar a farinha e o sal em uma tijela. Esquentar o óleo, um pouco mais quente do que o ponto de fritura.
(Coloquem o óleo na frigideira, e junto, coloquem um palito de fósforo (sem ascender). Quando o óleo esquentar, o palito ascende, deixem mais 2 minutos e desliguem o fogo.)
Acrescentar o óleo quente, na mistura de farinha e sal, e mexer bem.
Acrescente a pinga, o vinagre  e água e sove em superficie lisa até dar o ponto para cilindrar.
A massa fica bem firme mas não pode ficar úmida.
Depois é só passar no cilindro, várias vezes até ficar com uma espessura fina.
Em uma superficie lisa, estenda a massa, recheie a gosto, dobre a massa como envelope e feche com auxilio de um garfo.

Agora é só fritar e se deliciar.
Ah, o melhor de tudo, além do pastel ser feito em casa, com o recheio que você quiser, ele ainda fica sequinho, sem aquela gordura pingando.


Nas feiras livres em São Paulo, o pessoal tem o costume de comer o pastel acompanhado com caldo de cana ou água de coco, mas fica a gosto do freguês...pode ser um suco, refrigerante ou até mesmo aquela cervejinha bem gelada.
Espero que tenham gostado!



2 comentários:

  1. mentira q dá pra fazer massa de pastela em casa???não sabia disso, pensava q só dava pra fazer pastel com as massas compradas no mercado! hahahaha
    agora posso fazer pra italianada!!! pastel de palmitoooo gnam!!!
    uma dúvida: pra q serve a pinga na massa??? se não tiver, tem problema?
    bjus

    ResponderExcluir
  2. Sim, da pra fazer! Eu nao gosto mto, pq a gente acaba comendo + do que o necessario, kkk.
    A pinga serve pra dar uma crocancia e nao puxar o oleo tbm. Mas pode usar so o vinagre.
    Bjinhos.

    ResponderExcluir