sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Receita de Amigos.

Olá meus amigos!
Hoje sexta-feira...véspera de Natal...todos preparando a ceia de hoje a noite.
E eu vou compartilhar com vocês mais uma receita super fácil e diferente.
Essa receita vou oferecer pra Miriam, de Toledo no Paraná...em homenagem ao aniversário dela, que foi ontem, dia 23/12. Ela é casada com meu tio Adilson, mas não costumo chamá-la de tia, porque ela não tem cara de tia, hahaha...é nova, extrovertida, sempre sorridente, de bem com a vida.
Tem dois filhos lindos, a Camilla e o Bruno...que eu amo de paixão.
Já faz algum tempo que nos conhecemos...desde que meu tio resolveu apresentá-la a família de uma maneira bem diferente: juntou meus tios, meus avós, alguns primos...alugou uma van, viajaram quase 700 km até a casa dos meus pais em Santa Catarina, e chegaram "assim", de surpresa!
Foi bem divertido, e eu não esqueço.
Desde então sempre mantemos contato, mesmo morando em cidades diferentes, e agora em países diferentes.
No casamento dos dois, pude participar, não só como convidada...fiz uma leitura da 1° Epístola aos Coríntios, vocês conhecem:


Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse Amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine. E ainda que tivesse o dom da profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse Amor, nada seria. E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, se não tivesse Amor, nada disso me aproveitaria. O Amor é paciente, é benigno; o Amor não é invejoso, não trata com leviandade, não se ensoberbece, não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal, não folga com a injustiça, mas folga com a verdade. Tudo tolera, tudo crê, tudo espera e tudo suporta. O Amor nunca falha. Havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá; porque, em parte conhecemos, e em parte profetizamos; mas quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado. Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino. Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido. Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; mas o maior destes é o Amor.


Já são mais de 6 anos de amizade, e muita história pra contar.
Mas agora vamos a receita, rsrs.
Espero que todos gostem, em especial, você né Miriam...sei que vocês gostam de Strogonoff, mas esse é um pouco diferente, feito com carne de porco.


Eu usei:
Pedacinhos de carne de porco +- 300 gr
Óleo +- 2 a 3 colheres
1 dente de Alho 
1/2 cálice de vinho branco seco
Molho Shoyo +- 1 a 2 colheres
1/2 lata de Champignons 
1/2 caixa Creme de leite fresco
Cheiro verde a gosto
Caso necessário: 1 colher de farinha de trigo e meia xícara de leite.


O preparo, super rápido:
Frite a carne de porco no óleo. Depois de dourada, acrescente o alho e deixe fritar junto.
Acrescente o vinho, e deixe evaporar.
Tempere com o molho shoyo, junte os champignons, o creme de leite e deixe ferver aproximadamente 10 minutos.
Desligue o fogo e acrescente o cheiro verde. 
Se necessário, caso prefira o molho um pouco mais cremoso, misture a farinha no leite, e junte ao Strogonoff, e ligue o fogo novamente.


Eu nunca havia comido Strogonoff feito com carne de porco, mas há alguns dias atrás fomos almoçar em um supermercado daqui, e eu comi esse tal Strogonoff e achei super diferente, por isso resolvi copiar e fazer em casa.
Fica ai a sugestão pra vocês também. Bom apetite!



Nenhum comentário:

Postar um comentário